Última Hora
Home / Amazonas / Um retrato da educação no interior do Amazonas em debate em Manaus

Um retrato da educação no interior do Amazonas em debate em Manaus

“Eu sonho de ter uma escola na comunidade. A nossa foi desativada e nunca foi construída outra”. A afirmação é de Rosicleudo Martins, professor e morador do Sítio Fortaleza, uma comunidade ribeirinha no município de Uarini (AM), e ilustra a realidade da educação no interior do Amazonas. Pela precariedade da estrutura física, a escola deixou de ser utilizada e as aulas passaram a ser realizadas no centro comunitário. Um espaço aberto, improvisado para receber os estudantes. Rosicleudo também é um dos personagens do livro “Protagonistas: relatos de conservação do Oeste da Amazônia”, em exposição a partir do dia 7, em Manaus. O educador participará do evento “Diálogos em Educação Ambiental Comunitária” a ser promovido pelo Instituto Mamirauá, entre os dias 9 e 11 de outubro, das 9h às 12h e de 14h às 18h. O encontro vai ser no Les Artistes Café Teatro, no centro da cidade.

“Diálogos em Educação Ambiental Comunitária” levará à Manaus uma exposição de fotos que contam as mais de duas décadas de trajetória do Instituto Mamirauá em educação ambiental. Também vão estar expostos jogos didáticos (jogos de tabuleiros, quebras-cabeça, trilhas, jogos da memória, aplicativos) para interação com o público, e publicações socioambientais. A exposição estará aberta durante todos os dias do evento. Já as rodas de conversa vão criar um espaço de debate de temas como educação ambiental, políticas ambientais, envolvimento comunitário, o manejo participativo e o cenário das escolas rurais na região. “Para falar da situação do ensino rural, dois professores que trabalham em comunidades ribeirinhas na Amazônia vão participar do evento”, conta a educadora ambiental do Instituto Mamirauá, Eliane Neves. “Eles vão falar com a experiência própria, sobre as dificuldades e desafios enfrentados”.

Educação ambiental para a Amazônia

“Diálogos”, como o nome sugere, é um convite à população manauara a conversar e conhecer mais o que é educação ambiental, como ela é, e como pode ser feita na Amazônia, além das salas de aula. “Pouco tem se debatido sobre a efetividade da educação ambiental em unidades de conservação, prefeituras municipais, sindicatos, movimentos sociais, organizações da sociedade civil, entre outros”, observam os organizadores do encontro.

Com uma longa tradição no trabalho de educação ambiental em comunidades rurais da Amazônia, o Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), tem experiência para falar do assunto. Desde a criação, na cidade amazonense de Tefé, o Instituto age em parceria com esses povos, incentivando saberes tradicionais e compartilhando informações com eles para conservar a natureza.

Desde 2013, realiza o projeto “Mamirauá: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade em Unidades de Conservação”, financiado pelo Fundo Amazônia. Uma das ações do projeto são os “Cantinhos da Ciência”, viveiros educativos que integram as comunidades no aprendizado e cuidado com espécies vegetais madeireiras, frutíferas e medicinais. “Com o encontro ‘Diálogos em Educação Ambiental Comunitária’, nos colocamos o desafio de dividir esta experiência”, afirmam os membros da equipe de Educação Ambiental do Instituto Mamirauá.

Diálogos em Educação Ambiental Comunitária

– exposição e rodas de conversa sobre educação ambiental –

Quando: 9, 10 e 11 de outubro de 2017

Onde: Les Artistes Café Teatro (Av. Sete de Setembro, 377 – Centro, Manaus)

Entrada: Gratuita

Inscrições: para as rodas de conversa foram encerradas. Interessados em fazer parte de uma lista de espera, devem mandar e-mail paradialogos@mamiraua.org.br

“Protagonistas” em exposição

“Protagonistas” é uma viagem em fotos à região do médio curso do Rio Solimões, a riqueza da biodiversidade e das culturas dos povos de lá, através do relato de doze pessoas engajadas com um projeto de conservação do meio ambiente. São moradores de comunidades ribeirinhas, como o Luiz, agricultores, professores, cientistas, técnicos e assistentes de pesquisa que traduzem, à maneira delas, o que é viver, trabalhar e cuidar dessa parte da Amazônia. Essa exposição será realizada de 7 a 8 de outubro, no Millennium Shopping (Av. Djalma Batista, 1661, Manaus). A entrada é gratuita.

Com informações da assessoria/Foto: Mário Daloia

Comments

comments

About Redação

Portal de notícias da cidade de Tefé e região. Credibilidade e imparcialidade em Reportagens, Notícias, Especiais, Entrevistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!